Finanças Pessoais

Valuation: como estimar o valor de uma empresa? Descubra!

Valuation: como estimar o valor de uma empresa? Descubra!

Se você já está familiarizado com o mercado financeiro, já deve ter ouvido a expressão “Valuation”. Apesar do processo parecer complexo, especialmente no caso de startups, há formas assertivas de calculá-lo.

Em suma, Valuation é o processo – ou a metodologia, se preferir – feito para estimar o valor monetário de uma empresa. Ou seja: qual é o “preço” de uma instituição no mercado? Quanto você precisaria investir para comprar uma parte dela ou, até mesmo, ela toda?

O artigo hoje se centrará em mostrar como realizar essa estimativa, quais as maneiras de calcular o valor de uma empresa e, também, quais os cuidados necessários ao colocar um “preço” a uma empresa. Confira:

O que é Valuation?

A expressão Valuation é muito conhecida entre os investidores, especialmente investidores que se identificam – ao menos em parte – com a estratégia de buy and hold.

Essa metodologia foi criada com o intuito de ajudar a responder uma pergunta bastante complexa: como estimar o preço de uma empresa? Afinal, como saber se as ações dela estão caras ou baratas? Como saber quanto custa ser dono de 10% daquela empresa? E, até mesmo, quanto custa comprar toda aquela empresa?

Não é incomum vermos notícias no mercado anunciando como a empresa X foi avaliada em 10 milhões de dólares e/ou valores de todas as ordens de grandeza. E, ainda, se você for parar para pensar sobre, as ações nada mais são do que uma pequena parte de uma empresa. Como saber a maneira que o mercado estimou o preço de uma cota?

Assim, o Valuation ganha papel de destaque como uma das maneiras de compreender os valores estimados no mercado financeiro e, claro, nos investimentos de maneira geral. Inclusive investimentos de Venture Capital, por exemplo, em startups.

Qual a importância do Valuation?

O Valuation se faz extremamente importante para um investidor – ou o mercado como um todo –  conseguir precificar uma empresa e, consequentemente, o preço de um “share” dela.

Assim, serve não apenas para tentar chegar ao preço justo para a cota de um ativo, mas, também, para chegar a uma proposta interessante de aporte financeiro em uma startup, por exemplo.

Dessa forma, o investidor ou os donos de umab u empresa conseguem ter a tranquilidade de estarem fazendo um bom negócio – tanto de compra quanto de venda.

Como calcular o valor de uma empresa?

Existem diversas maneiras de calcular o Valuation de uma empresa. A mais popular é via fluxo de caixa descontado, mas não é o único tipo de análise válida. Confira alguns exemplos:

Fluxo de Caixa Descontado (FDC)

A análise baseada em fluxo de caixa descontado se baseia no uso de projeção de lucro futuro, trazendo-o para o presente. 

Em suma, essa análise precisa ser feita com cuidado de não projetar menos do que 5 anos e mais que 10 anos do caixa da empresa e, também, descontar o superávit de maneira proporcional ao longo dos anos. 

Múltiplos de Mercado

Com a metodologia de Múltiplos de Mercado, normalmente o analista em questão avalia o preço da empresa com base em seus indicadores. Normalmente é utilizado o Ebitda da empresa comparado a outros players do seu mercado.

Valuation de Liquidação

No Valuation de Liquidação, são somados todos os ativos e subtraídos os passivos. De maneira geral, esse tipo de Valuation é utilizado especialmente quando uma empresa está encerrando suas operações, daí o termo “liquidação”.

Cuidados a se tomar ao realizar o Valuation

Apesar do Valuation ser uma maneira confiável de se estimar o valor de uma empresa, é necessário tomar bastante cuidado com algumas particularidades dessa análise.

A principal ressalva é que Valuation não é uma ciência exata. Existem alguns fatores de natureza mais subjetiva utilizados nessa análise e, ainda, como é possível notar, há diversas formas de se calcular o valor de uma empresa. Assim, o valor final pode variar dependendo dos fatores considerados na estimativa.

Jacinto Neto
Jacinto Neto Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também