Finanças Pessoais

Consórcio imobiliário: entenda o que é e como funciona

Consórcio imobiliário: entenda o que é e como funciona

Vista como uma forma mais barata de realizar o sonho de adquirir a casa própria, o consórcio imobiliário tem suas vantagens e desvantagens.

Se você quer descobrir tudo sobre como ele funciona e, ainda, a possibilidade de usá-lo para amortizar a dívida, acompanhe os próximos tópicos e entenda o consórcio imobiliário!

Como o consórcio imobiliário funciona?

São aplicados, ao consórcio imobiliário, os mesmos princípios dos outros tipos de consórcio existentes no mercado.

Geralmente, uma vez ao mês, os participantes do grupo pagam suas parcelas, contribuindo com este valor para o fundo comum – que é utilizado para a compra da casa.

Este fundo, uma vez por mês – ou em maior frequência, é sorteado pela administradora. Assim, um ou mais participantes do grupo podem ser sorteados, ganhando uma carta de crédito no valor definido no início do consórcio para comprar seu imóvel.

Lances no consórcio imobiliário

Quando os sorteios acontecem, também é possível dar lances, que são uma antecipação do pagamento. A regra, neste caso, é clara: o maior lance leva o prêmio, a carta de crédito.

Se um dos participantes estiver disposto a quitar 40% da dívida na hora, por exemplo, o prêmio é seu – a não ser que outro participante dê um lance maior.

Este lance pode ser feito utilizando até 100% do seu saldo do FGTS. Para isso, é preciso apresentar o extrato do FGTS à administração.

Consórcio imobiliário: custos

Um quesito que se destaca quando se trata do consórcio imobiliário é a ausência da cobrança de juros, diferentemente das outras formas de financiamento disponíveis no mercado.

Entretanto, não é apenas pela falta dos juros que os brasileiros gostam deste método e o consideram mais barato: mesmo com a taxa de administração, seguro (e outras cobranças, em alguns casos), o custo total pode chegar a 20% do valor da casa.

Além disso, vale lembrar que o consórcio é isento de algumas taxas comumente cobradas nos financiamentos imobiliários – como, por exemplo, o IOF: Imposto de Operações Financeiras.

Outros usos do FGTS no consórcio imobiliário

Embora o saldo do FGTS possa ser utilizado para dar lances durante o sorteio da carta de crédito, esta não é a única utilidade para quem participa de um consórcio.

O seu saldo do FGTS também pode ser utilizado como complemento para a carta de crédito na hora de adquirir o imóvel.

Em ambas as possibilidades, o FGTS é liberado diretamente ao vendedor do imóvel que será adquirido.

Além disso, também é possível utilizar o seu saldo para liquidar a dívida ou amortizar parte do saldo devedor após adquirir o imóvel com a carta de crédito recebida pelo consórcio.

O consórcio imobiliário é a opção certa para mim?

O consórcio pode ser feito com outros propósitos: conseguir a casa para alugá-la, por exemplo (conheça os fundos imobiliários e entenda como investir em uma forma mais fácil de lucrar com aluguel).

Por ter suas desvantagens – como a dependência de sorteios e a possibilidade de alta no preço do imóvel, por exemplo, esta pode não ser a melhor opção para algumas pessoas.

Entretanto, se você tem condições de dar um lance alto em breve ou deseja concorrer ao longo do tempo sem pressa e nem muito prejuízo, talvez encontre uma opção interessante de consórcio imobiliário.

Jacinto Neto
Jacinto Neto Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também