Finanças Pessoais

Bovespa fix: entenda como funciona a operação de títulos privados

Bovespa fix: entenda como funciona a operação de títulos privados

Chamando a atenção de muitos investidores, o Bovespa fix movimenta mais de 50 bilhões em volume de títulos. Dessa maneira, é uma interessante opção de investimento em títulos privados com renda fixa.

Então, se você se interessou pelo investimento e deseja entender melhor, acompanhe este artigo e saiba o que é o Bovespa fix, como ele funciona e muito mais!

O que é Bovespa fix?

O Bovespa fix é um investimento criado pela antiga Bolsa de Valores – agora denominada B3 – no ano de 2001. Ele parece com o Tesouro Direto. Porém, enquanto o Tesouro Direto negocia títulos públicos, o investimento Bovespa negocia títulos privados.

No Bovespa fix, são negociados vários tipos diferentes de títulos – que serão explicados nos próximos tópicos – ademais, oferece possibilidade de negociação, custódia e liquidação dos ativos.

Como é o funcionamento do Bovespa fix?

A princípio, os títulos negociados pelo Bovespa fix prometem, na data do vencimento, devolver ao investidor o valor pago, além de uma taxa de juros.

Uma das maiores vantagens para quem investe nesses títulos é o rendimento. O Bovespa fix oferece um maior rendimento dentro da renda fixa, principalmente nos momentos de baixa taxa de juros. 

Além disso, por serem títulos de dívida corporativa, o investidor consegue se basear em mais informações sobre a empresa, o que auxilia em sua decisão.

Quais os tipos de títulos privados oferecidos?

Conforme citado anteriormente, esse tipo de investimento negocia uma variedade considerável de tipos de título privado. Confira:

  • CRA

O CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio) é um título ligado às atividades do agronegócio.

As securitizadoras emitem o CRA e é muito procurado por fazendeiros e empresários/empreendedores agrícolas, já que o dinheiro conseguido geralmente é utilizado para a compra de máquinas, por exemplo.

  • CRI

O CRI financia transações imobiliárias, com títulos também emitidos por securitizadoras.

Sobretudo, os valores dos títulos do CRI possuem lastros: financiamentos comerciais, residenciais ou de construção, além de contratos de aluguel.

  • FIDc

Um FIDc é o que uma empresa emite quando precisa adiantar parcelas a receber dos clientes. Assim, seus recebíveis a crédito são vendidos com uma porcentagem de desconto para quem os compra à vista.

  • Debêntures

Debênture: o ativo mais negociado e conhecido da Bovespa fix.

Este ativo é uma emissão de dívidas. A empresa os lança no mercado com o principal objetivo de expandir seus negócios. Porém, essa estratégia também é muito utilizada por quem planeja abrir uma empresa em breve.

  • Letras de crédito financeiras: LCI e LCA

Existem dois tipos de letras de crédito financeiras, ambas com o mesmo objetivo. Veja:

  • LCI

Letra de Crédito Imobiliário. O LCI se assemelha com o CRI, financiando as diferentes necessidades do setor imobiliário: construir, reformar e comprar.

  • LCA

Letra de Crédito do Agronegócio. Parecida com o CRA, financia as atividades do setor agrícola do país.

A comercialização das letras de crédito financeiras é mais acessível, pois qualquer banco pode emiti-las, seja ele comercial, múltiplo, público ou privado.
Portanto, se este artigo te ajudou a entender o Bovespa fix, não deixe de acompanhar nossos conteúdos e tire todas as suas dúvidas sobre o mercado financeiro!

Jacinto Neto
Jacinto Neto Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também