Mercado Financeiro

Investidor moderado: saiba suas características e preferências financeiras

Investidor moderado: saiba suas características e preferências financeiras

No mercado de investimento existem ofertas o bastante para atender os mais variados tipos de investidores, sejam eles conservadores, investidores moderados ou agressivos.

A classificação desses investidores pode ser feita traçando um perfil simples de acordo com as estratégias de alocação do seu patrimônio e planejamento financeiro. No artigo de hoje, será possível entender o perfil de investidor moderado.

Quais são as características que definem o investidor moderado? Qual a diferença dele para os investidores conservadores e agressivos? Quais são os tipos de investimento que se alinham a um perfil moderado? Entenda:

O que é um investidor moderado?

O investidor moderado é uma zona intermediária de certo “equilíbrio” entre um perfil conservador e o agressivo, com um apetite ao risco mais controlado. 

Um investidor moderado aproveita da previsibilidade da renda fixa, sabendo que seu dinheiro não oscilará abruptamente. Entretanto, também aproveita da variação do preço dos ativos no mercado em boas situações, geralmente de empresas e fundos mais consolidados.

Sua principal característica é o equilíbrio. Ele sabe balancear a relação de lucro e risco, optando em balancear a melhor opção de custo/benefício sem correr elevado risco.

Sendo moderado, pode tolerar certos riscos, principalmente a longo prazo, se aquele investimento possui um potencial de rentabilidade significativo.

Lembrando que nesse perfil, o conhecimento do mercado também é indispensável. Afinal, para saber equilibrar é preciso conhecer todos os indicadores e por sua vez mensurá-los. 

Qual a diferença para os perfis conservador e agressivo?

Para entender de fato o que é um investidor moderado, faz-se pertinente definirmos também quais são os dois outros grandes perfis: conservador e agressivo (ou arrojado).

Investidor conservador

São aqueles investidores que preferem ter a certeza de que vão ganhar e/ou proteger o patrimônio num espectro de longo prazo a ter a dúvida do potencial de perder muito no processo.

Ou seja, eles buscam ativos que possuem mais “certeza” de retorno e praticamente descartam ativos com maior volatilidade das suas carteiras, mesmo quando esses tenham um potencial de trazer maior retorno.

Normalmente são investidores que optam por investir a maior parte do seu patrimônio em renda fixa, visto que o valor de retorno já é preestabelecido e/ou vinculado a um indicador que anda no ritmo da economia – como a SELIC. 

Mesmo os investidores conservadores podem, por vezes, alocar uma pequena parte do seu patrimônio em renda variável, especialmente em empresas mais consolidadas em seus mercados e/ou boas pagadoras de dividendos.

Investidor arrojado

O investidor arrojado está no outro espectro no que tange apetite ao risco e tolerância à oscilações na sua carteira de ativos.

Investidores mais agressivos são aqueles que mantêm o foco na rentabilidade, ou seja, independente do risco, contanto que haja chances sólidas de uma operação com lucros acima da média, o investidor provavelmente irá considerar aportar nesse ativo.

Quais são os investimentos moderados?

Normalmente, o investidor moderado tem o início em solo conservador e conforme ganha conhecimento e confiança, pode avançar para um perfil mais agressivo se assim desejar.  

Sua reserva de emergência é feita de renda fixa como CDBs,LCA, LCI, ou Tesouro Direto. Todos esses considerados extremamente conservadores.

Em seguida, ele pode começar com ações de empresas governamentais e/ou referências em seus nichos no mercado.

O plano de finanças e estratégias de lucratividade equilibrando uma dose de risco em parte da carteira fazem parte do dia a dia do investidor moderado.

Jacinto Neto
Jacinto Neto Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também