Mercado Financeiro

Análise Fundamentalista: o que é e como fazê-la para seus investimentos?

Análise Fundamentalista: o que é e como fazê-la para seus investimentos?

Para quem está avançando nos seus estudos sobre investimentos e mercado financeiro, é provável que hora ou outra se depare com esse termo: Análise Fundamentalista. Para além do nome “complicado”, o que ela realmente significa?

De maneira geral, a Análise Fundamentalista é uma das formas de um investidor analisar uma empresa, com base em diversos indicadores que indicam a saúde da instituição e do mercado, para estimar se ela é ou não um bom investimento e, claro, o preço do ativo está justo.

O que é Análise Fundamentalista?

A Análise Fundamentalista, cunhada por um dos maiores investidores da história, Bejamin Graham e popularizada por seu pupilo, Warren Buffet, tornou-se muito conhecida no mercado, especialmente entre investidores buy and hold.

Em suma, ela é uma ferramenta para estimar o valor de uma empresa, se ela está num momento saudável ou não e, ainda, se ela possui princípios que a tornam uma escolha boa para se ter na carteira de um investidor.

Assim, nessa análise, os investidores utilizam uma série de indicadores, como indicadores contábeis e micro e macro econômicos, para avaliar a qualidade da empresa e o momento ideal para comprá-la e vendê-la.

Análise Fundamentalista vs Análise Técnica 

Ao estudar mais a fundo os tipos de análises no mercado, o investidor se encontra diante de um grande desafio: decidir quando usar uma análise fundamentalista e quando usar uma análise técnica.

Ambas as análises possuem muitos adeptos e, apesar das suas diferenças, podem ser utilizadas dependendo do contexto.

Quando falamos de Análise Fundamentalista, estamos, frequentemente, estimando a qualidade e o valor de uma empresa visando o médio-longo prazo. Ou seja, essa análise de fato se debruça em cima de diversos dados, sendo inclusive alguns deles qualitativos, para entender se uma empresa tem o potencial de se valorizar ao longo do tempo.

Já quando tratamos da Análise Técnica, ou gráfica, é comum estimarmos o preço de um ativo no curto prazo, sendo o intervalo no espectro normalmente de dias ou até mesmo minutos.

Pelo foco no curto prazo que a Análise Técnica traz, ela é mais comumente utilizada por day traders. Assim, há uma estimativa de preço de um ativo com base em uma análise gráfica e previsões em cima de certos “padrões” apresentados no comportamento de ativos no mercado financeiro.

Como fazer uma Análise Fundamentalista?

Fazer uma Análise Fundamentalista não é uma tarefa fácil. Primeiro porque estamos falando de uma análise do valor intrínseco de uma empresa e, segundo, porque se trata de avaliar uma instituição no longo prazo – ou seja, estimar seu potencial de crescer num espectro de anos ou até mesmo décadas.

Mas, para nossa sorte, há bastante literatura sobre como fazê-lo, sendo essencial, especialmente, atentar-se aos indicadores da empresa:

Principais Indicadores

  • Balanço Patrimonial
  • Demonstrativo de fluxo de caixa
  • Índices e Múltiplos, como:
    • Preço / Lucro
    • Preço / Valor Patrimonial
    • EBITDA

Estimar o valor intrínseco de uma empresa pode se mostrar uma prática muito complexa. Porém, com o auxílio de uma Análise Fundamentalista, passada por investidores hoje multimilionários, podemos ter mais assertividade na hora de decidir se vale ou não a pena aportar em um ativo.

Jacinto Neto
Jacinto Neto Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também