Finanças do Mercado Imobiliário

Incorporação imobiliária: tudo o que você precisa saber sobre o tema

Incorporação imobiliária: tudo o que você precisa saber sobre o tema

A incorporação imobiliária já é conhecida no setor da construção civil, pois é um procedimento considerado comum pelas empresas da área.

Entretanto, nem todos conhecem os processos necessários para que a incorporação imobiliária possa funcionar corretamente. Além disso, ainda circulam algumas dúvidas neste contexto para quem quer investir em FIIs.

Então, se você quer aprender mais sobre o tema, acompanhe os próximos tópicos!

O que é incorporação imobiliária?

A incorporação imobiliária é o processo de venda de um ou mais imóveis enquanto estão sendo projetados. Isso significa que uma ou mais pessoas podem comprar – ou financiar, neste caso – os imóveis ainda na planta.

Estes imóveis são empreendimentos com unidades autônomas. Ou seja: para que esta venda ainda no processo construtivo aconteça, é feito um acordo. Entretanto, este processo não é tão simples quanto parece. Veja:

Funcionamento da incorporação imobiliária

O processo da incorporação imobiliária conta com quatro pontos essenciais para a negociação. São eles:

  1. O dono do terreno

O proprietário do local cede seu terreno para a empresa incorporadora, que dará andamento às construções acordadas na negociação.

  1. A construtora

Apesar de incorretamente associar-se aos trâmites da incorporação imobiliária, a empresa é responsável, na maioria das vezes, apenas pela construção dos imóveis no terreno.

Entretanto, em alguns casos, a empresa construtora pode atuar também como incorporadora.

  1. A incorporadora

Além de ser o mediador da relação entre a construtora e o proprietário do terreno, a incorporadora também é responsável por avaliar a viabilidade econômica da obra.

O serviço da empresa incorporadora é essencial pois não deixa com que nada saia do controle durante o processo.

  1. Os compradores

Os compradores são a parte que financia o projeto, do início ao fim da construção, mediante pagamento adiantado, assinatura de contrato e outros processos burocráticos.

Por se tratar de um investimento com perigos em potencial, não recomenda-se para quem possui um perfil de investidor mais conservador.

A incorporação imobiliária é um processo seguro?

Durante o andamento do projeto, os compradores financiam o processo de construção dos imóveis com pagamento adiantado. Mas o que é feito com os imóveis deste potencial fundo de tijolo após o término da construção?

Quando os imóveis já estão completos e entregues de acordo com o que foi negociado e dentro das condições legais, os – até então – compradores se tornam investidores.

E, para garantir que os imóveis sejam entregues nas condições corretas, há uma série de leis que defendem o consumidor.

Um exemplo de garantia dada aos compradores é o patrimônio de afetação, que desvincula o patrimônio da incorporadora e o patrimônio do empreendimento.

Assim, caso o incorporador entre em falência durante o processo de incorporação, não poderá se valer dos imóveis vendidos para quitar suas dívidas.

A incorporação imobiliária vale a pena?

Apesar de ser um processo no qual o comprador dispõe de várias garantias, é sempre bom pesquisar e reunir o máximo possível de informações sobre as empresas antes de iniciar a negociação.

A incorporação imobiliária é um serviço muito burocrático, especialmente se comparado à investir diretamente em FIIs. Por isso, não é indicado para todos os perfis de investidores.

Jacinto Neto
Jacinto Neto Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também