Fundos Imobiliários

Fundos de Desenvolvimento: entenda se vale a pena investir

Fundos de Desenvolvimento: entenda se vale a pena investir

Indicados para investidores mais ousados, os Fundos de Desenvolvimento consistem em apoiar o processo de construções com o objetivo de vender ou alugar os imóveis. 

Os Fundos de Desenvolvimento podem trazer grandes ganhos, porém, mais arriscados. Então, para entender tudo sobre esse tipo de FII, acompanhe o artigo!

O que são Fundos de Desenvolvimento?

Os Fundos de Desenvolvimento são investimentos em imóveis, apoiando a construção e visando o lucro da venda ou locação dos mesmos no futuro.

Sendo assim, os cotistas – que são os investidores – fornecem os recursos necessários para que a construção seja feita, compondo o patrimônio do fundo.

Os cotistas não escolhem como será o imóvel, pois esse é o trabalho do gestor – que também é o responsável por aplicar o patrimônio arrecadado pelos investidores.

Vantagens e desvantagens de investir em Fundos de Desenvolvimento

Apesar de serem um investimento mais arriscado, essa forma de investimento oferecem possibilidades de grandes ganhos.

Mesmo assim, um fator que diminui consideravelmente os riscos de investir nesse tipo de FIIs é o fato de que estes projetos usam apenas os recursos que já têm em mãos. Assim, não são geradas dívidas perigosas.

Além disso, é oferecida uma Renda Mínima Garantida (RMG), que garante que, mesmo caso haja algum problema durante a construção, os cotistas terão um retorno por seus investimentos.

Em casos de construções grandes – como hospitais ou prédios, por exemplo -, os lucros de locação ou venda podem ser muito maiores do que os valores investidos inicialmente.

Como qualquer investimento, os Fundos de Desenvolvimento também têm seus altos e baixos. 

Por isso, com o objetivo de ajudá-lo a decidir se deseja investir nos FIIs, fizemos uma lista explicando melhor as suas vantagens e desvantagens. Veja:

Vantagens

  • Bom potencial de rentabilidade

Os Fundos de Desenvolvimento oferecem projetos com uma boachance de rentabilidade.

Exemplos desses projetos são as construções grandes e para fins comerciais. Elas tendem a gerar, depois de concluídas, uma alta porcentagem de lucros com a venda ou locação.

  • RMG: Renda mínima garantida

Mesmo com a chance de acontecerem alguns imprevistos durante o processo de construção dos imóveis – como, por exemplo, ultrapassar o orçamento-, os cotistas não saem perdendo 100% de seus investimentos.

Existe uma Renda Mínima Garantida que serve para, acima de tudo, incentivar os investidores a continuarem apoiando o projeto.

Desvantagens

  • Riscos maiores

Um dos principais riscos desse tipo de investimento, principalmente em projetos de grandes construções, é o risco de imprevistos durante o processo.

Esses imprevistos podem ser, por exemplo, a perda de materiais caros ou o ultrapassamento do orçamento inicial.

  • Falta de poder de escolha

Por um lado, ter um gestor cuidando de tudo é uma preocupação a menos. Porém, para os investidores mais experientes – para os quais os Fundos de Desenvolvimento são mais indicados -, a falta do direito de opinar e/ou pedir mudanças no projeto pode ser incômoda.

Jacinto Neto
Jacinto Neto Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também