Mercado Financeiro

Como a rentabilidade dos investimentos funciona? Encontre a resposta!

Como a rentabilidade dos investimentos funciona? Encontre a resposta!

Quando se fala em investimentos, automaticamente é preciso entender o que é rentabilidade. Afinal, esse termo designa os ganhos que o investidor pode ter.

O problema é que, às vezes, o conceito da rentabilidade parece pouco palpável. O que ela realmente determina para os investimentos? Vamos entender neste post.

O que é rentabilidade?

A rentabilidade é uma taxa que mostra quanto você receberá ao aplicar seu dinheiro. Portanto, representa os ganhos de um investimento financeiro.

Ela é definida em percentual. Por exemplo, quem investiu R$ 1.000 e resgatou R$ 1.500 teve um ganho de R$ 500. Assim, o resultado foi de 50%.

Por isso, é fundamental entender esse conceito. Desse modo, é possível comparar seus objetivos com o retorno oferecido pela aplicação financeira.

O resultado dessa análise é a capacidade de tomar decisões mais acertadas. Isso porque você conseguirá alinhar melhor as seguintes variáveis: risco, retorno, objetivos e perfil de investidor.

Rentabilidade x lucratividade x rendimento x liquidez: quais as diferenças?

Esses quatro conceitos são utilizados como semelhantes, em muitos casos. No entanto, existem diferenças significativas.

A rentabilidade é o percentual de retorno de um investimento. Por sua vez, lucratividade se refere ao ganho que ultrapassa o capital investido, deduzidos os gastos.

Por exemplo, o investimento inicial é de R$ 50. O valor sacado é R$ 100. Portanto, a lucratividade é de 100%.

Já o rendimento está relacionado ao retorno de uma aplicação financeira. Nesse exemplo, seriam os R$ 50 de lucro.

Por fim, a liquidez consiste na facilidade de transformar um ativo em dinheiro. Portanto, ela é alta conforme for mais fácil fazer essa conversão.

Quais são os tipos de rentabilidade?

Existem dois tipos de rentabilidade:

  • bruta: é aquela que não contabiliza os descontos de taxas administrativas e operacionais, além de impostos;
  • líquida: já apresenta as deduções. Por isso, é o ganho real.

Além disso, há três formas de rentabilidade. A nominal é a que apresenta qual será o retorno do investimento. Nesse caso, a inflação é desconsiderada.

Por sua vez, a rentabilidade real leva em conta a inflação e a desconta para descobrir qual foi o percentual de ganhos verdadeiro. Portanto, é esse resultado que mostra o potencial de aumento do seu patrimônio.

Da mesma forma, assegura a elevação do poder de compra. Afinal, quando é igual ou menor do que a inflação, não há ganho real.

Ou seja, o valor sacado pode ser maior do que o investido. Ainda assim, nem sempre houve um ganho verdadeiro.

Por fim, há a rentabilidade líquida. Ela é formada pela nominal menos os custos, isto é, taxas e impostos.

Para que serve a rentabilidade?

Apesar de estarmos abordando o cenário dos investimentos, esse índice também é usado na gestão financeira de empresas. Nos dois casos, ela ajuda a tomar melhores decisões.

Verificando a rentabilidade do investimento, é possível compará-la a outros indicadores para saber se é melhor manter uma posição ou modificá-la. Além disso, você pode analisar diferentes opções para decidir qual é a melhor aplicação financeira.

Como calcular a rentabilidade de investimentos?

O cálculo do percentual de retorno obtido deve começar pelo levantamento de alguns dados. Verifique:

  • taxas administrativas e operacionais;
  • inflação;
  • impostos.

Em seguida, considere que os investimentos em renda variável têm retorno imprevisível. Isso porque a volatilidade é alta. Portanto, a oscilação é muito grande.

De toda forma, você pode calcular a rentabilidade com a seguinte fórmula:

Rentabilidade = rendimento líquido x 100 / valor investido

Tenha em mente que o rendimento líquido já desconta impostos e taxas. Além disso, considera a inflação do período.

Entenda melhor com o seguinte exemplo. Imagine que você investiu R$ 10.000. O rendimento bruto foi de R$ 3.000. A cobrança foi apenas de Imposto de Renda, na faixa de alíquota de 15%.

Assim, o rendimento líquido foi de R$ 2.550. Isso porque:

Rendimento líquido = R$ 3.000 – (R$ 3.000 x 15%) = R$ 3.000 – R$ 450 = R$ 2.550

O próximo passo é a rentabilidade. Aplicando os dados na fórmula, temos:

Rentabilidade = R$ 2.550 x 100 / R$ 10.000 = 25,5%

Portanto, nesse exemplo, a rentabilidade é de 25,5%. Com esse resultado, você pode fazer a comparação para conferir qual é o melhor investimento.

Jacinto Neto
Jacinto Neto
Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também