Fundos Imobiliários

FIIs de Papel: tudo o que você precisa saber para começar a investir

FIIs de Papel: tudo o que você precisa saber para começar a investir

A primeira coisa que você precisa saber sobre os FIIs de Papel (Fundos Imobiliários de Recebíveis) é que eles são fundos de investimentos que trabalham com títulos imobiliários e não com imóveis físicos, como os de shoppings.

A segunda coisa que você precisa saber sobre os FIIs de Papel é que eles não são renda fixa.

É comum pensar ou ouvir que, através desses fundos, você está investindo em renda fixa. No entanto, a verdade sobre eles é que simplesmente são fundos imobiliários que investem em títulos de renda fixa.

O que são FIIs de Papel?

Portanto, os FIIs de Papel são renda variável. São assim classificados devido aos vários tipos de títulos que são investidos, o que faz com que os retornos sejam distintos.

Principais títulos para FIIs de Papel

Dentre os títulos, os principais são:

  • CRIs (Certificados de Recebíveis Imobiliários);
  • LCIs (Letras de Crédito Imobiliário);
  • LHs (Letras Hipotecárias).

Dentre eles o mais popular é o CRI, que funciona basicamente como um financiamento no qual é feito por uma securitizadora e oferecido para investidores.

Alguns exemplos de fundos imobiliários de papel que possuem títulos CRIs são: IRDM11, HCTR11, RECR11, CPTS11.

Tipos de FIIs

Para um investimento consciente, o investidor deve se manter informado sobre os vários fundos que lhe são possíveis para assim montar uma carteira estratégica.

Os tipos de FIIs que são principais são:

  • Fundos Imobiliários de Renda;
  • FIIs de Desenvolvimento;
  • Fundos de Recebíveis Imobiliários;
  • FIIs de Fundos;
  • Fundos de Tijolo.

Fundos de Papel x Fundos de Tijolo

Fiis de Papel: Imagem com notas de doláres, calculadora científica, bloco de notas sobre uma mesa branca.

Dentre os tipos de fundos imobiliários existem os fundos de papel e os considerados “de tijolos”. E os investidores que estão começando agora possuem uma dúvida válida e comum:

Qual é melhor? Fundo de Papel ou Fundo de Tijolo?

Enquanto os FIIs de Papel têm como característica principal ser um fundo que trabalha majoritariamente com títulos imobiliários, os fundos de tijolo têm como característica adquirir imóveis já construídos.

Por exemplo escritórios de alto padrão, para assim, cobrar aluguel de seus inquilinos.

A receita obtida dos aluguéis é distribuída aos cotistas conforme a participação. Essas são diferenças em suas definições, mas, quando falamos de vantagens e desvantagens, qual seria a melhor opção?

Os FIIs de Papel têm como vantagem:

  • Obtenção de diversificação do ativo – reduzindo exposição risco de crédito;
  • É possível negociar títulos – tornando possível ganhos com variações de mercado.

Os FIIs de Tijolo têm como vantagem:

  • Valorização com o tempo – certos imóveis são protegidos contra inflação;
  • Várias opções de cotas – equilibrar os investimentos para ter ganhos diversificados.

Os FIIs de Papel têm como desvantagem:

  • Risco ao crédito – Os mutuários podem não pagar o que devem;

Os FIIs de Tijolo têm como desvantagem:

  • Risco de vacância – diminuir os ganhos mensais pela redução do número de inquilinos;
  • Risco de inadimplência – O inquilino pode atrasar o pagamento ou até mesmo não o realizar.

E então? Qual é a melhor?

A verdade é que depende de qual é o seu foco e sua estratégia.

Lembre-se sempre que é necessário conhecer um pouco mais dos diferentes fundos, de seus pontos altos e baixos, para assim definir a melhor estratégia e equilibrar os riscos com os retornos.

Considerações

Os Fundos Imobiliários de Papel são uma excelente opção para quem busca diversificação, rentabilidade maior e um ambiente sem vacância por parte dos inquilinos

Nossa dica para você é: trace suas metas, busque conhecer ainda mais os FIIs de Papel, não faça nada fora do seu planejamento, pois para navegar nesse mar é necessário ser diligente com seus investimentos.

Jacinto Neto
Jacinto Neto
Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também