Finanças Pessoais

Educação financeira: entenda como funciona e qual a importância

Educação financeira: entenda como funciona e qual a importância

Erroneamente associada apenas a palestras, estudos e muita teoria, a educação financeira é muito mais importante do que grande parte das pessoas pensa.

Por isso, acompanhe os próximos tópicos deste artigo e entenda quantas vantagens a educação financeira pode trazer para a sua vida! Vamos lá?

O que é educação financeira?

Ao contrário do que muitos pensam, a educação financeira vai muito além de um assunto monótono e/ou complexo, que só tem importância para quem deseja investir em ações, por exemplo.

Apesar de ser um passo de extrema importância para qualquer pessoa que pense em entrar para o mundo dos investimentos, a educação financeira ensina o básico necessário – e que todos deveriam saber – sobre como cuidar de suas finanças.

Desde a organização à noção de juros e visão de futuro, a educação financeira serve para prevenir situações que podem acontecer caso você seja pego desprevenido.

O planejamento, um dos principais pontos, já é suficiente para poupá-lo de muitos apertos financeiros.

Dicas sobre finanças para você colocar em prática

Tendo em mente que poucas pessoas têm acesso a este tipo de informação no Brasil, de nada adiantaria falar sobre a educação financeira sem oferecer alguns dos principais ensinamentos que ela nos traz.

Então, continue a leitura e considere as cinco dicas básicas que trouxemos a seguir para manter suas finanças estáveis!

  1. Estabeleça metas

Economizar pode ser uma tarefa difícil quando não se tem um objetivo como motivação – seja ele de curto, médio ou longo prazo.

Para evitar gastos desnecessários, tente listar quais são as suas prioridades e planeje como e por quanto tempo precisará juntar dinheiro.

Assim, focando nas próximas metas, é mais fácil cortar os gastos desnecessários.

  1. Se planeje com base em contas realistas

Um dos piores erros que podemos cometer é não ter tudo planejado quando o salário chega na conta bancária.

Sair da rotina no quinto dia útil para comemorar a recompensa de um longo mês é comum, porém tome cuidado para que as consequências disso não sejam dívidas ao longo do mês.

Faça todos os cálculos antecipadamente e saiba exatamente, com base no seu padrão de vida, o quanto você pode gastar.

  1. Saiba quando não usar o cartão de crédito

Infelizmente, muitos brasileiros acabam encontrando no cartão de crédito a solução para todos os seus problemas – ou acreditam que encontraram.

A realidade é que, muitas das vezes, as taxas do parcelamento são muito elevadas. Além disso, parcelar em muitas vezes pode acabar gerando imprevistos muito desagradáveis caso algo saia do controle.

Uma complicação gerada por dívidas no crédito pode ser muito pior do que parece. Por isso, saiba discernir quando vale mais a pena fazer uma economia e comprar à vista ou em menos parcelas.

  1. Tenha uma reserva de emergência

Esta dica pode não ser fácil para muitas pessoas. Mas, se possível, estude as possibilidades de investimentos de baixo valor. Muitos bancos digitais oferecem boas opções!

Com eles, é possível criar uma reserva de emergência que, aos poucos, será alimentada. A longo prazo, ter economias guardadas pode ser muito útil para você e sua família.

  1. Priorize as contas atrasadas

Ter todo – ou quase todo – o seu salário resumido às dívidas, faturas ou contas atrasadas é, com certeza, uma ideia desanimadora.

Entretanto, é possível entrar em contato com as instituições para tentar negociar o seu débito e se ver livre dos juros que aumentam com o passar do tempo.

Educação Financeira é essencial na sua qualidade de vida

A educação financeira é extremamente necessária e pode ajudar muitas pessoas. Por isso, não tenha medo de conversar sobre dinheiro e incentive seus familiares e amigos a buscarem informações como essas!

Jacinto Neto
Jacinto Neto Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também