Mercado Financeiro

DTVM: Qual a função da Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários?

DTVM: Qual a função da Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários?

O mercado financeiro, em linhas gerais, é composto por um conjunto de instituições que permitem a negociação de títulos financeiros entre investidores e tomadores de recursos. Uma das instituições atuantes é a DTVM – Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários ou Distribuidoras de Valores – e seu papel principal é intermediar as negociações de ativos. 

A DTVM atua ativamente na conexão entre os investidores e a bolsa de valores, permitindo a compra e venda de capitais. A atividade das Distribuidoras de Valores – bem como das Corretoras de Valores – é essencial para o mercado financeiro, sem essas organizações seria impossível os investimentos em ativos. 

Dessa forma, a compreensão sobre o que significa uma DTVM e seu papel no mercado financeiro é primordial para qualquer investidor. Acompanhe.

O que é uma DTVM?

Como visto, DTVM são instituições que atuam no mercado cambial, financeiro e de capital intermediando as operações de títulos e valores mobiliários. Assim como as corretoras de valores, possuem um sistema de integração que opera todo tipo de negociação relacionado a bolsa de valores. 

As organizações de Distribuição de Valores são autorizadas pelo Banco Central e são fundamentais para o funcionamento do Sistema Financeiro Nacional. Os investimentos em ações, cotas de fundos de investimento, renda fixa, fundos de papéis e contratos derivativos são possíveis por meio das DTVM. 

Funções de uma Distribuidora de Valores 

A principal função da DTVM é fazer a mediação entre o investidor e o ativo financeiro de seu interesse, ou seja, é por meio de uma Distribuidora de Valores que o investimento nos valores mobiliários acontece. 

A movimentação, negociação, e operação de compra e venda é feita pela DTVM ou corretora de valores que integra as informações entre os clientes e os ativos financeiros comercializados no mercado. 

Além disso, ainda possuem funções e objetivos secundários listados abaixo: 

  • Operar bolsa de valores 
  • Gerenciar carteira de ativos, custodiar títulos e valores mobiliários
  • Exercer funções de agente fiduciário
  • Intermediar operações cambiais 
  • Atuar na emissão de títulos e valores mobiliários 
  • Operar em bolsa de mercado futuro para si ou terceiros 
  • Administrar clubes de investimentos 
  • Executar operações compromissadas
  • Emitir certificados de depósitos de títulos e debêntures

De maneira sintetizada as Distribuidoras de Valores prestam serviços de intermédio e assessoria para todas operações e atividades do mercado financeiro. 

Diferença entre Corretoras de Valores e Distribuidora de Valores 

As duas organizações são igualitárias em funções, desde 2009 a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e o Banco Central autorizaram a Distribuidora de Valores a operar diretamente no sistema de negociação da bolsa de valores.

Portanto, por meio da Decisão Conjunta 17/2009 todas as DTVM atuam da mesma maneira e seguem as mesmas regras que as corretoras de valores. 

As instituições possuem uma organização autorizada a operar diretamente na bolsa de valores e realizar negociações nas carteiras de ativos dos clientes. Devem respeitar e atender os requisitos de capacidade financeira e operacional estabelecidos pela B3 (bolsa de valores brasileira). 

Dito isso, a DTVM é altamente especializada em todas as transações que fica responsável, sua atuação no mercado é fundamental para o funcionamento das operações. Além de possuir segurança nas operações por serem regulamentadas diretamente pela CVM e Banco Central.

Jacinto Neto
Jacinto Neto Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também