Mercado Financeiro

Subscrição: saiba o que é e como exercer esse direito

Subscrição: saiba o que é e como exercer esse direito

Se você já está há algum tempo nesse vasto mercado financeiro, provavelmente já se deparou com uma interessante oportunidade de bons proventos chamada subscrição.

Nesse artigo abordaremos o conceito de subscrição, sua funcionalidade e como exercer esse direito tão importante.

O que é subscrição?

Basicamente, a subscrição é um direito que permite a todos os investidores, seja de empresa ou de FIIs, comprarem novos títulos à condições especiais.

Dentro do mundo dos investimentos, surgem momentos em que as empresas decidem emitir novas ações ou cotas, no caso de ser um fundo imobiliário, para aumentar a geração de dinheiro.

Os acionistas que já investem nessa empresa têm preferência na compra desses ativos recém-emitidos, e então, chamamos isso de subscrição.

A subscrição existe justamente para que não haja diluição da participação dos investidores, e assim, permite com que os acionistas se mantenham no nível de participação de antes.

Além disso, existe outra vantagem para esses investidores, em alguns casos eles pagam um valor menor por ações.

No entanto, é válido ressaltar que o acionista pode ou não comprar novas cotas ou ações do ativo, o que torna a subscrição um privilégio e não uma obrigação.

Para que serve a subscrição?

Como mencionamos acima, o que torna as subscrições interessantes são os benefícios que se oferecem aos investidores.

Dessa forma, podemos citar alguns para que você melhor entenda e aproveite essa oportunidade:

  • Manter a participação nas ações;
  • Adquirir cotas ou ações por menos;
  • Possibilidade de aumentar os juros compostos.

1. Manter a participação nas ações

Quando uma empresa resolve emitir mais ações, todos os participantes do investimento têm o direito de adquirir ou não os novos títulos.

Caso eles comprem, podem permanecer com a porcentagem de participação anterior.

2. Adquirir cotas ou ações por menos

Um outro motivo para estimular os acionistas é um valor mais em conta para adquirir os títulos financeiros.

Os ativos são ofertados por um valor com desconto para atrair os investidores já participantes.

3. Possibilidade aumentar os juros compostos

Ao comprar mais ativos do mesmo negócio, surge a oportunidade de receber juros compostos, dessa forma, obtêm-se rendimentos mais altos.

Como funciona a subscrição?

Um homem segurando uma nota de 20 doláres, fazendo referência a subscrição

Logo acima, pudemos ver a definição e para que serve a subscrição de ações, mas você sabe como esse processo é feito?

Quando uma empresa ou fundo resolve captar mais recursos para novos projetos, emite mais títulos e, para os investidores, informações sobre a subscrição destas. Dentre elas temos os valores referentes aos novos investimentos.

O acionista deve observar que existe um prazo para a compra com desconto, pois, caso ele não emita ordem de compra até lá, perderá a oportunidade.

Dito isso, vamos a um exemplo simples.

Um fundo imobiliário de tijolo emitiu 1.000 cotas a R$7 cada, e um investidor compra 100 cotas desse fundo.

Depois de algum tempo, esse fundo resolve emitir mais cotas e, assim, outras 1.000 cotas ficam disponíveis para subscrição, e essa pessoa as compra pelo valor de R$5.

Viu só? No início, ao adquirir 100 cotas das 1.000, a sua porcentagem de participação era de 10%, no entanto, com o aumento da quantidade de cotas, a participação seria diluída para 5%.

Isso significa que a rentabilidade estaria comprometida.

Assim, esse cotista prefere comprar essas cotas e manter-se com a mesma participação.

Vale observar que no exemplo, no momento da subscrição FIIs, o valor da cota estava menor do que de costume.

Como fazer subscrição?

Primeiramente, é necessário que se deixe claro seu interesse nas sobras dos ativos.

Para isso, entre em contato com a sua corretora ou a própria instituição para manifestar o desejo de compra.

Sempre que as empresas resolverem emitir mais títulos, você receberá as informações necessárias para as operações.

É importante lembrar que se deve ter dinheiro suficiente para exercer o direito de subscrição e estar atento ao prazo final para a compra.

Conclusão

Vimos que a subscrição é um direito capaz de muito beneficiar os investidores e cotistas pois, através dela, aumenta-se o potencial de juros compostos, somado a um valor mais vantajoso, além de manter a porcentagem de participação nos títulos da empresa.

Não é um processo burocrático nem complexo, basta apenas ter um conhecimento mínimo de finanças para assim saber se vale a pena ou não.

Em conclusão, a subscrição oferece uma ótima oportunidade para todos aqueles que desejam sua independência financeira, vale, todavia, observar as nuances dos investimentos para tomar as melhores decisões.

Jacinto Neto
Jacinto Neto
Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também