Mercado Financeiro

Private equity: o que é e como funciona esse tipo de investimento?

Private equity: o que é e como funciona esse tipo de investimento?

Para investidores de maior porte, mas que possuem um apetite maior ao risco, existe uma maneira muito interessante de aportar: o private equity. Como o próprio nome já diz, é um tipo de investimento via capital privado, geralmente feito em empresas de menor porte e com grande capacidade de crescimento.

Mas, afinal, como funciona o private equity, qual a diferença desse tipo de investimento para outros semelhantes e quais são as vantagens tanto para empresa quanto para os investidores?

Vamos debater sobre isso neste artigo.

O que é private equity?

O private equity é uma forma de investir com capital privado. Ou seja, é uma maneira de aportar dinheiro em empresas que não estão ainda listadas na bolsa, geralmente numa fase mais inicial.

Empresas, fundos de investimento e até investidores individuais buscam esse tipo de aplicação com o intuito de participar de um negócio com potencial ainda exponencial. 

Negócios em fases mais iniciais são os que apresentam, no geral, quando são feitos com base em uma análise profissional, o maior potencial de ganhos. 

Isso porque não é incomum uma startup multiplicar seu valuation em mais de 10x, 50x, 100x e até 1000x ao longo dos anos. Enquanto negócios já listados na bolsa apresentarão esses resultados menos frequentemente.

Afinal, não é incomum uma empresa que valia R$100.000,00, depois de alguns anos, começar a valer R$10.000.000,00, mas para uma empresa como a Apple, que já vale US$ 3 trilhões, crescer mais 100x será complexo e improvável.

Qual a diferença do private equity para outros investimentos?

A principal diferença do private equity com o que conhecemos tradicionalmente como investimento é o fato dele ser de capital privado. Ou seja, investimento direto em empresas que não estão listadas na bolsa.

Porém, o private equity também se diferencia de investimentos como o venture capital e o buy out, outros tipos de investimento que estão fora da bolsa de valores.

O venture capital se baseia em aportes em empresas em estágio bastante inicial e constitui um investimento de maior risco. Aqui é frequente a empresa estar ainda se estabelecendo no mercado e não apresentar lucros positivos.

Já o buy out é caracterizado quando os próprios gestores compram parte de sua empresa. Aqui, tanto indivíduos que são atualmente gestores quanto gestores passados na empresa compram parte dela.

Em contraste com essas duas modalidades, o private equity se centra no investimento em empresas um pouco mais consolidadas. Geralmente elas já apresentam um balanço positivo e são conhecidas no mercado, mesmo que não tenham grande share .

Quais são as vantagens de investir via private equity?

A principal vantagem para os investidores que decidem aportar em formato de private equity é a possibilidade de comprar uma empresa que tem grande potencial de crescimento.

Para além disso, os investidores desta modalidade também possuem certa participação na gestão da empresa. Sendo assim, é possível eles terem maior influência nas decisões da empresa e acesso a mais informações “internas”, do que os investidores geralmente têm de empresas listadas.

Para quem está recebendo o investimento de private equity, as principais vantagens são:

  • Orientação de gestores experientes;
  • Maior visibilidade no mercado;
  • Maior estrutura para operar a empresa.

Jacinto Neto
Jacinto Neto Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também