Economia Internacional

Mercado de Crédito: entenda como funciona e qual a utilidade

Mercado de Crédito: entenda como funciona e qual a utilidade

Se você costuma estudar o ,Mercado Nacional e a B3 (Bolsa de Valores), Mercado de Crédito não deve ser um nome desconhecido. Mas você sabe como isso funciona?

Para maior entendimento sobre o que é o Mercado de Crédito, como ele funciona e os tipos de operações que ele contempla, continue neste artigo.

O que é Mercado de Crédito?

O Mercado de Crédito, pertencente ao Sistema Financeiro Nacional – assim como o Mercado de Ações ou o Cambial, por exemplo -, é essencial no cenário da economia contemporânea e a mantém funcionando.

Porém, o Mercado de Crédito também é importante para todo o resto da economia brasileira. Afinal, ele possibilita projetos vantajosos para uma grande variedade de áreas do nosso mercado.

Como esse Mercado funciona?

Primeiramente, o Mercado de Crédito funciona como uma forma de efetuar diferentes operações e concessões de recursos, oferecendo possibilidades de financiamento – tanto para pessoas físicas quanto jurídicas.

Dessa forma, as operações acontecem entre os bancos – ou outras instituições fornecedoras de crédito – e os chamados tomadores de créditos.

Como garantia de que o crédito será pago, as operações podem contar com diferentes lastros: para as Pessoas Físicas, fiadores, imóveis ou recebíveis são exemplos comuns.

Para Pessoas Jurídicas, o lastro pode ser desde uma máquina até uma participação na empresa ou ativo financeiro, por exemplo.

Estas operações podem ser subdivididas. Isso significa que, nesse Mercado, há operações de:

  1. Curto prazo

Que duram um período inferior a um ano;

  1. Médio prazo

Duram entre um e cinco anos;

  1. Longo prazo

Operações que duram mais de cinco anos.

Como em outros acordos financeiros, antes de uma operação são estabelecidos alguns parâmetros – como a forma de liquidação, por exemplo -. Além disso, também é feita uma estipulação dos prazos de vigência do acordo.

Tendo isso em mente, cada acordo é feito de forma personalizada, sempre planejado de forma justa para ambos os lados: credor e tomador de crédito devem estar em vantagem e de acordo com as condições pré-determinadas.

Além disso, não podemos esquecer de um fator primordial sobre esse mercado: a taxa de juros, que pode ser Pré ou Pós-fixada e define o custo do capital. Geralmente, adiciona-se um spread bancário ao CDI ou à taxa Selic.

Tipos de Crédito no Mercado

Como citamos no tópico anterior, é possível utilizar o Mercado a seu favor como pessoa física ou jurídica. Porém, existem algumas diferenças. Veja:

  1. Pessoa Física

Sendo uma Pessoa Física, o Mercado de Crédito pode lhe proporcionar crédito consignado, cartão de crédito, cheque especial, crédito direto ao consumidor e vários outros tipos.

  1. Pessoa Jurídica

Uma Pessoa Jurídica pode utilizar o Mercado de Crédito para conseguir, por exemplo, financiamentos para máquinas, equipamentos, projetos ou até empréstimos para capital de giro.

Recorrer a empréstimos e outros créditos é uma boa opção para adicionar velocidade ao que uma pessoa física ou pessoa jurídica desejam executar. E, para saber exatamente como tomar crédito de maneira favorável a você, é preciso se atentar às regras e fatores do Mercado de Crédito.

Jacinto Neto
Jacinto Neto Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também