Mercado Financeiro

Fundos de Investimentos Internacionais: como funcionam e quais são as vantagens

Fundos de Investimentos Internacionais: como funcionam e quais são as vantagens

Nos fundos de investimento há uma variedade de opções em que o investidor decide alocar seu capital de acordo com seu planejamento financeiro. Dentro desta modalidade existem os fundos de investimentos internacionais que permitem diversificar e potencializar a rentabilidade expostas a outras moedas e mercados. 

Os fundos de investimentos internacionais são uma opção para quem procura características distintas dos ativos oferecidos no mercado interno. Para isso, é necessário que o investidor  autônomo ou em parceria com o gestor aloquem seu patrimônio no exterior.

O que são os Fundos de Investimentos Internacionais?

Resumidamente, são fundos de investimentos atrelados a alguma moeda estrangeira, podendo esses serem adquiridos no Brasil, mas são negociados no exterior. 

Os ativos comprados são originados em outros países, sendo possível realizar a compra direta ou por meio de gestores que fazem as análises de rentabilidade. 

O portfólio dos fundos é atrelado conforme o perfil do investidor e com base nas características de cada fundo que podem ser de renda fixa, renda variável  ou de fundo cambial (compra e venda de moeda estrangeira).

Como investir em Fundos Internacionais

Os fundos de investimento internacionais funcionam da mesma maneira que os locais: os investidores adquirem cotas de participação que tem como objetivo valorizar o patrimônio e, com as operações, aumentar o preço das cotas. Essa negociação de compra, valorização e venda é que caracteriza o retorno ao investimento no fundo. 

Ao investir no exterior há chances de retorno mais agressivo e/ou “protegido” por estar vinculado à uma moeda estrangeira, apesar do funcionamento ser bem parecido com fundos internos. 

Em suma, as negociações ocorrem de duas maneiras: a forma direta onde o investidor faz o aporte financeiro diretamente no exterior por intermédio de uma empresa estrangeira (nessa modalidade é necessário abrir uma compra internacional e realizar o câmbio da moeda). 

E a forma indireta sendo negociada, comprada e movimentada diretamente por empresas brasileiras. Dessa forma, não há necessidade de câmbio de moeda pois é tudo realizado em real, podendo ser realizado por bancos de investimentos. 

A tributação dos fundos internacionais é realizada em cima do Imposto de Renda que possui uma taxa fixa de 15% sobre os lucros obtidos, ou seja, obtidos sob a venda das cotas.

Vantagens de investir em Fundos Internacionais

As vantagens para quem decide investir no exterior começam pela possibilidade de realizar esse aporte diretamente do Brasil, sem necessidade de contas internacionais, troca de moeda e seguir burocracias estrangeiras.

Com o patrimônio diversificado as vantagens incluem seu dinheiro rendendo em moedas externas, normalmente mais valorizadas que o real, isso permite uma lucratividade e retorno financeiro com potencial de menor depreciação ao longo prazo. 

Além de estar exposto a momentos de economia diferentes permitindo o balanço das rendas de acordo com os altos e baixos de cada uma. 

Portanto, ao destinar uma parte do patrimônio em fundos internacionais, os investimentos ficam atrelados aos resultados de economias globais e empresas internacionais, abrindo um leque de ativos muito maior para os seus aportes, sendo mais um ponto positivo a considerar.

Para terminar, fundos de investimentos internacionais são indicados para certos tipos de perfil de investidor, que requerem um pouco mais de conhecimento, muita análise e um plano de investimento muito bem definido.

Jacinto Neto
Jacinto Neto Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também