Mercado Financeiro

Benchmark financeiro: como avaliar os seus investimentos

Benchmark financeiro: como avaliar os seus investimentos

Quando você ouve falar em benchmark, o que vem à sua cabeça? Uma forma simples de traduzir esse termo é usar a palavra referência.

benchmark é justamente isso: um indicador utilizado como base para medir a rentabilidade dos investimentos. Apesar de ter apenas um nome, ele abrange uma série de índices. Além disso, está presente na renda fixa e na variável.

Desse modo, é fundamental entender o benchmark e sua influência nos investimentos. É o que vamos explicar neste post. Acompanhe.

O que é benchmark?

Esse é um índice de referência usado para mensurar a performance de um investimento. Para saber se o resultado está dentro das expectativas, é utilizada uma régua. Assim, é possível fazer as comparações.

A partir dos benchmarks, você faz uma análise mais ampla do desempenho do ativo. Portanto, esses índices de referência ajudam a definir qual investimento é melhor.

Qual a importância do índices de referência?

Ao contar com um benchmark bem definido, é possível entender como está a rentabilidade de determinado ativo. Por exemplo, se um título tem rendimento de 4,5% ao ano, está bom?

Isoladamente, é impossível responder essa pergunta com certeza. Para isso, existem os benchmarks. Eles trazem um parâmetro de avaliação. Assim, é possível ter mais clareza na comparação.

Dessa forma, também são evitados alguns erros. Por exemplo, um resultado da renda fixa não pode ser analisado junto a outro da renda variável.

Por fim, a análise com benchmarks permite diferenciar a rentabilidade. Ou seja, você sabe se a taxa é real ou nominal e pode tomar uma decisão mais eficiente.

Mulher aparece fazendo um gesto como se estivesse em dúvida, mostrando que o benchmark ajuda a definir qual investimento é o melhor

Quais são os principais benchmarks do mercado financeiro?

Cada índice de referência tem um objetivo. Além disso, acompanha um grupo de ativos diferente. Atualmente, as opções mais utilizadas são:

  • taxa DI, ou Certificado de Depósito Bancário (CDI);
  • taxa Selic;
  • Ibovespa;
  • IPCA e outros indicadores de inflação;
  • taxa de câmbio Ptax.

Na renda fixa, os indicadores de referência mais comuns são CDI, Selic, IPCA e Ptax. Na renda variável, o Ibovespa. Ainda existem outros índices setoriais da bolsa. Entre eles estão os índices

  • Brasil 50;
  • Brasil 100;
  • Small Cap;
  • MidLarge Cap;
  • do Setor Industrial;
  • Financeiro;
  • Imobiliário.

Como o benchmark funciona em fundos de investimentos?

Essa aplicação financeira trabalha bastante com os índices de referência. Isso porque o objetivo do gestor é superar o rendimento de determinado benchmark. Portanto, é necessário saber qual é o parâmetro utilizado para definir o melhor fundo para você.

Além disso, existem dois tipos de gestão. A ativa busca ultrapassar o indicador-base. O regulamento determina qual será utilizado e a taxa de performance a ser aplicada.

A alíquota incide somente sobre os ganhos que excederem a referência. Ou seja, se o fundo tinha como base 5% do Ibovespa e conseguiu 10%, a superação foi de 5%.

Se a taxa de performance for de 20%, será preciso pagar 1%. Isso porque esse é o resultado de 20% sobre os 5% excedentes.

Por sua vez, o fundo passivo busca acompanhar o índice de referência. Assim, a taxa de performance não é aplicável. Por exemplo, se a referência for o CDI e ele estiver em 4%, a rentabilidade buscada é essa.

Existe uma periodicidade para analisar o rendimento de uma aplicação financeira?

Os benchmarks devem ser acompanhados de forma periódica. No entanto, o período exato depende do tipo de investimento.

Por exemplo, o Ibovespa deve ser monitorado todos os dias. Afinal, ele é bastante volátil. Por sua vez, o CDI e a Selic podem ser acompanhados a cada 45 dias. Esse é o prazo para as reuniões do Copom. Nesses encontros há definição da taxa básica de juros.

De qualquer forma, o benchmark é um comparativo confiável. Por meio dele, você diversifica sua carteira e entende a dinâmica dos ativos. Desse modo, pode escolher o melhor investimento para seus objetivos.

Jacinto Neto
Jacinto Neto
Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também