Economia Internacional

Lastro: descubra o que é e qual o impacto causado nas finanças

Lastro: descubra o que é e qual o impacto causado nas finanças

Um lastro é utilizado em um navio para proporcionar equilíbrio, estabilidade e segurança; não muito diferente disso é o significado deste termo no mercado financeiro.

Para saber quais são as vantagens de se ter um lastro financeiro como garantia sobre seus fundos, valores e investimentos, continue lendo este artigo!

Lastro financeiro: o que é e qual a função?

Um lastro, no mercado financeiro, é uma garantia utilizada para firmar o valor de um ativo: uma moeda, imóvel ou ouro, por exemplo.

Essa operação é feita quando é necessário garantir o valor de título ou promessa. É assim que são feitas as garantias de ações e fundos.

Um exemplo seria a negociação de papéis que têm, como lastro, uma quantidade de ouro pré-estabelecida.

Como pode ser feito um lastro financeiro?

Existem alguns tipos de lastros diferentes, confira os principais deles:

Produtos agrícolas

Os produtos originários do agronegócio, que são muito exportados (como a soja, o café e o milho, por exemplo), são negociados através de títulos que, por sua vez, são lastreados pelos próprios produtos.

Ou seja: nesses casos, o valor de um título se dá pela possibilidade de investimento sem a necessidade de armazenar ou transportar grandes quantidades do mesmo.

Metais e minérios preciosos

No caso do ouro, da prata e de outros metais preciosos negociados nas corretoras de valores, a negociação é feita completamente com base em títulos.

Esses títulos equivalem à quantidade de ouro, por exemplo, que o investidor deseja comprar. Nesses casos, não é feita a negociação dos metais diretamente.

Imóveis

Outros casos onde podem-se utilizar os lastros são os imóveis, como via LCIs, CRIs e até compra de cotas de fundos imobiliários. Assim, o investidor não se torna proprietário do imóvel inteiro.

Como funciona o lastro na moeda brasileira​​?

lastro: janelas de um prédio

O lastro financeiro se fazia presente também para garantir o valor das moedas. Mas hoje não há mais necessidade para tal prática.

Antigamente, as moedas fiduciárias tinham valor intrínseco garantido, por exemplo, pela prata ou ouro contido nelas. No contexto atual, a garantia de valor do dinheiro não vincula-se a metais preciosos.

O Real, por exemplo, tem seu valor garantido por ser a moeda oficial brasileira. Devido à taxa cambial e ao conjunto de políticas e regras ligadas à Casa da Moeda e ao Banco Central, não há mais a necessidade de um lastro.

Existe lastro para criptomoedas?

Esta é uma das principais dúvidas sobre o lastro financeiro, afinal, existe lastro para criptomoedas?

A resposta mais simples é: não, não há lastro para as principais criptomoedas. Mesmo assim, isso não significa que não haja valor atrelado às moedas digitais.

Estabelece-se o valor do Bitcoin, por exemplo, em termos simples, pela lei da Oferta e Demanda. Por ser uma inovação que traz consigo muitas utilidades – e ainda ser considerada uma reserva de valor muito importante contra a inflação -, a criptomoeda tem seu valor regulado pelo mercado, em suma, pelas pessoas que adquirem a moeda e acreditam nela.

Mesmo assim, algumas criptomoedas – como a stablecoin Tether, Tether Gold e o Wrapped Bitcoin – possuem lastro: BTC, dólar e até ouro.

Jacinto Neto
Jacinto Neto Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também