Mercado Financeiro

Fundos de Renda Fixa: entenda tudo sobre o tema

Fundos de Renda Fixa: entenda tudo sobre o tema

Com os Fundos de Renda Pré-fixada – ou Renda Fixa -, é possível preencher sua carteira de investimentos com vários títulos públicos e privados, conseguindo um rendimento acima do CDI e um perfil de risco mais conservador.

Então, para aprender o que são os Fundos de Renda Fixa e como investir dessa maneira, não deixe de acompanhar os próximos tópicos. Ao final do artigo, você sairá pronto para investir.

O que são Fundos de Renda Fixa?

Os Fundos de Renda Fixa são geralmente voltados para um investidor de perfil de risco mais conservador, pois apresentam pouco potencial de oscilações negativas, acompanhando, em média, os movimentos da macroeconomia e do mercado.

Estes investimentos apresentam como seu maior risco a variação da taxa de juros, além da falta de garantia do FGC, por exemplo. Apesar disso, muitos dos investidores ainda consideram os Fundos de Renda Pré-fixada uma das formas mais seguras de investir.

Isso porque, além da diversificação e da gestão profissional do patrimônio, este tipo de Fundo costuma oferecer maior rentabilidade, garantindo um bom retorno acima do CDI.

Como funcionam os Fundos de Renda Fixa?

O funcionamento destes fundos funcionam da forma básica já conhecida: os investimentos de cotistas são recolhidos e se tornam em patrimônio aplicado da forma que o gestor profissional define.

A escolha do gestor gira em torno de como o investimento funcionará melhor para ambos os lados, levando em consideração a rentabilidade e também a segurança.

É importante também entender que existem diferentes tipos de Fundos de Renda Pré-fixada

Tipos de Fundos de Renda Fixa

Apesar de existirem várias divisões quando se trata dos Fundos de Renda Fixa, é possível considerar, a princípio, quatro principais grupos. São eles:

  1. Fundos Referenciados

São os Fundos que acompanham uma determinada referência: o CDI, por exemplo. O CDI, por sua vez, acompanha a taxa básica de juros Selic. Um exemplo deste tipo deste grupo são os Fundos DI.

  1. Fundos Não Referenciados

Fundos Não Referenciados são aqueles que não seguem uma referência. Como não seguem um índice específico, este tipo de Fundo permite uma gestão de portfólio mais ativa.

  1. Fundos de Crédito Privado

O caso dos Fundos de Renda Pré-fixada onde é possível que o gestor invista mais de 50% do patrimônio em crédito privado, sendo necessária uma designação no nome do Fundo. Esta modalidade é considerada a de mais risco.

  1. Dívida externa

Se aplica aos casos onde ao menos 80% do patrimônio é investido em títulos da dívida externa do Brasil.

Devo investir nesse tipo de fundo?

Entre os quatro tipos citados acima. Os Fundos Referenciados são considerados os melhores para investidores que buscam manter uma reserva de emergência com segurança de rentabilidade.

Apesar disso, quem visa outros fins também pode investir nesses Fundos: caso você seja um Investidor conservador que deseja apenas uma opção mais rentável do que a poupança, por exemplo.

Além disso, os Fundos de Renda Fixa também são considerados uma boa opção para os investidores iniciantes no mercado, por conta do baixo risco.

Jacinto Neto
Jacinto Neto Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também