Mercado Financeiro

Buy Side: tudo o que você precisa saber sobre a área

Buy Side: tudo o que você precisa saber sobre a área

Entre os integrantes do mercado financeiro, existe uma separação que se faz pertinente para entendermos as duas principais forças do mercado: os chamados “lado da venda” – sell side-  e “lado da compra” – buy side.

Neste artigo, explicaremos um dos lados: o buy side, ou seja, o lado do comprador de ativos financeiros no mercado. Entenda o que é, como funciona e as principais diferenças entre buy side e sell side.

O que é buy side?

Buy Side, ou “lado da compra”, é o termo utilizado para se referir, no mercado financeiro, às empresas que administram e aplicam seus recursos: seja em títulos, ações ou qualquer outro tipo de instrumento financeiro.

Em termos práticos, se trata de quem está comprando estes ativos, enquanto sell side é o lado de quem os vende para essas empresas.

Definindo preços de títulos e outros valores mobiliários e trabalhando em conjunto para extrair bons resultados das análises de ambos os lados, o buy side e o sell side trabalham muito bem em conjunto e são essenciais para o mercado financeiro.

Como o buy side funciona?

O buy side conta com as empresas que compram títulos e outros ativos para si mesmas ou para seus clientes. Portanto, estas são algumas das instituições que podem fazer parte da área:

  • Fundos de Private Equity;
  • Fundos de Pensão;
  • Fundos Mútuos;
  • Assets e gestores de investimentos;
  • Seguradoras;
  • Hedge Funds.

Estas instituições costumam realizar a compra de seus ativos através de outras instituições – como, por exemplo, bancos de investimentos.

Estas, por sua vez, contam com profissionais na área cujo papel é analisar as circunstâncias e ativos,  definir preços e, também, fornecer pesquisas e recomendações que funcionem para a carteira de ativos da empresa parceira em específico.

Principais diferenças entre o buy side e o sell side

De uma maneira geral, podemos afirmar que algumas das principais diferenças entre o buy side e o sell side são as seguintes:

  1. Funções dos analistas

Os analistas do buy side estão em busca de boas oportunidades. Eles analisam, por exemplo, o balanço financeiro e a estimativa de lucro de uma empresa, pois estão focados na rentabilidade para recomendar ativos geralmente internamente ou para um grupo mais exclusivo.

Enquanto isso, um analista de sell side é encarregado de passar credibilidade sobre suas recomendações a seus clientes e atua de maneira mais “externa”. Os analistas, investidores e empresas devem achá-lo uma fonte confiável.

  1. Divulgação das recomendações 

Além disso, as recomendações de um analista buy side geralmente são mantidas em sigilo, pois seu trabalho é feito de forma interna para clientes de grande porte que desejam serviço exclusivo.

Já um analista sell side, por trabalhar de forma mais independente e focada em vender – o que inclui chamar atenção de vários possíveis clientes -, costuma divulgar seus resultados para um público maior.

Tendo todas essas diferenças em mente, fica mais fácil entender o porquê das funções do sell side e do buy side serem mutuamente necessárias. Afinal, uma não funcionaria tão bem sem a outra.

Vale a pena contratar ou ser um “buy side’’?

Se você se interessa em investir em ativos para você, sua empresa ou seus clientes, os serviços de um profissional do buy side podem ser de grande ajuda.

Com eles, é possível analisar todas as oportunidades e encontrar a que melhor se encaixa aos seus objetivos e expectativas.

Para além disso, a profissão de analista com foco em buy side é muito procurada no mercado. Então, se você se interessa pelo mercado financeiro, é uma possibilidade interessante para se considerar.

Jacinto Neto
Jacinto Neto Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também