Mercado Financeiro

Títulos pós-fixados: o que são e diferença dos prefixados

Títulos pós-fixados: o que são e diferença dos prefixados

Para quem está começando no mundo dos investimentos e está estudando mais sobre renda fixa, uma das primeiras dúvidas que surgem é: o que é um título pós-fixado? Seguida provavelmente pela dúvida: e qual a diferença dele para o prefixado?

Apesar de parecer um pouco confuso especialmente para os investidores iniciantes, o próprio nome dos títulos pós-fixados denuncia suas diferentes formas de rentabilidade.

Mas, não se preocupe, neste artigo mostraremos as diferenças entre os títulos pós-fixados, prefixados e híbridos, assim como as vantagens de cada uma dessas aplicações.

O que são títulos pós-fixados?

Os títulos pós-fixados consistem em títulos que possuem os retornos atrelados a um indicador econômico. Ou seja, sua rentabilidade não é fixa e está vinculada a um indexador como a SELIC, que pode variar tanto positiva quanto negativamente ao longo dos meses.

Consideram-se os títulos pós-fixados, como o Tesouro SELIC, os mais seguros que você pode adquirir, especialmente como um investidor iniciante. 

Isso porque se mantêm competitivos em relação à flutuação e variações do mercado, como é o caso do aumento da inflação, por exemplo.

Além disso, no caso do Tesouro SELIC, você ainda possui uma boa liquidez, com a possibilidade de sacar o dinheiro em menos de 2 dias úteis e antes do vencimento indicado para aquele título.

O que são títulos prefixados?

Em contrapartida, os títulos prefixados são os que possuem sua rentabilidade atrelada a um número fixo. Assim, sua rentabilidade é pré-definida antes mesmo da sua compra e não irá mudar com o passar do tempo.

Um exemplo de título prefixado seria um CDB de um banco.

Os títulos prefixados são aplicações com um nível de risco maior, dado que independente do comportamento e desempenho do mercado, seu rendimento será o mesmo no seu resgate.

Qual a diferença entre títulos pós-fixados e prefixados?

A diferença entre os dois tipos de títulos está justamente no fato de que um possui os rendimentos pré-definidos, sem possibilidade de ajuste (prefixado). O outro, por estar atrelado a um indexador, pode variar com o passar do tempo, acompanhando o movimento da economia.

O que são títulos híbridos?

Os títulos híbridos, como o nome sugere, são títulos compostos por uma parte prefixada e outra pós-fixada. Ou seja, a rentabilidade final tem parte garantida no momento da compra e outra parte que se ajustará com base em algum indicador.

Um exemplo muito comum de um título híbrido é o Tesouro IPCA+, que possui parte do prêmio pré-definido (em %) e parte vinculada ao IPCA (índice utilizado para medir a inflação).

Jacinto Neto
Jacinto Neto Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também