Mercado Financeiro

Day trade: como funciona a operação de curtíssimo prazo?

Day trade: como funciona a operação de curtíssimo prazo?

Existem várias estratégias de atuação na bolsa de valores. É possível focar tanto o curto quanto o longo prazo. Porém, cada vez mais se destaca uma terceira alternativa: o day trade.

Ele designa as operações de curtíssimo prazo. Isso porque os ativos são comprados e vendidos no mesmo dia. Muitas vezes, a transação do day trade dura apenas alguns minutos.

Qual o objetivo dessa estratégia? Lucrar o máximo possível em pouco tempo. Para entender melhor qual é o sentido dessa operação, leia este post.

O que é day trade?

As operações de day trading são aquelas realizadas com prazo máximo de um dia. Normalmente, elas são iniciadas e finalizadas em um único pregão.

Quem realiza o day trade é chamado de trader. Esse é um dos tipos de investidores existentes na bolsa de valores. Seu foco é ganhar com a alta do momento. Por isso, ele pouco se preocupa com o crescimento da empresa.

Na prática, ele é um especulador. Ou seja, busca utilizar as oscilações do mercado a seu favor. Por isso, a chave para as operações de day trade é a volatilidade.

Tela de computador com gráficos de day trade

Por que muitas pessoas optam pelo day trade?

Essas operações existem há muitos anos. No entanto, começaram a se popularizar mais recentemente. Muito por conta das promessas de ganhos rápidos e fáceis.

Essa fama foi conquistada por vários fatores. Veja os dois principais.

Alavancagem

Um deles é o potencial de alavancagem. Esse é o mecanismo que permite investir até 10 vezes o seu capital. Para isso, é preciso dar uma garantia à corretora de valores.

Com a alavancagem, os ganhos podem ser muito maiores do que o normal. No entanto, a chance de prejuízos tem a mesma proporção.

Portanto, o investimento em qualquer modalidade de trading exige estudo. Além disso, o investidor precisa atentar às movimentações do mercado. Caso contrário, o potencial de prejuízos é expressivo.

Agilidade

Ainda existe a agilidade. Essa é outra característica do day trade. Isso porque você busca oportunidades de curta duração. Assim, fica menos exposto ao risco de mercado, desde que utilize as ferramentas disponíveis. Algumas delas são:

  • análise técnica: é a metodologia de análise de gráficos para identificar o momento em que o preço de um ativo vai começar a subir ou descer. Esse é o momento ideal para comprar ou vender um ativo;
  • stop loss: é uma ferramenta para determinar quanto você aceita perder com um ativo. Ao definir um valor e o ativo alcançá-lo, a corretora de valores automaticamente executa a ordem para evitar mais prejuízos;
  • stop gain: faz o mesmo processo, mas a limitação é para os ganhos.

Essas ferramentas são cruciais para o bom andamento das suas operações. Ainda é importante destacar que a interrupção de ganhos é relevante para evitar possíveis perdas.

Explicando melhor: os ativos aumentam seu preço até determinado ponto. Quando esse ápice é atingido, o valor começa a cair.

O stop gain evita que você se engane com o ponto de conversão. Assim, é estabelecido o valor máximo que você acredita que o ativo terá.

Como funciona o trading de um único dia?

Para atuar como day trader, você deve começar e finalizar uma posição no mesmo dia. Existem duas formas de fazer isso:

  • compra seguida de venda: você adquire um ativo e vende-o no mesmo dia, assim que seu preço aumentar;
  • venda seguida de compra: você vende um ativo e recompra-o no mesmo dia, assim que o preço diminuir.

Em ambos os casos, o objetivo é o lucro máximo. Por isso, é necessário saber interpretar os gráficos da análise técnica.

Várias palavras aparecem sendo que day trading está em destaque, uma das formas de escrever day trade

Quem pode fazer as operações de day trade?

Qualquer pessoa pode executar as transações de um dia. No entanto, nem todos devem operar dessa forma. Isso porque o day trade é mais complexo do que parece.

É importante conhecer o mercado financeiro e entender suas dinâmicas. Além disso, é necessário entender as ferramentas e as técnicas envolvidas. Caso contrário, a chance de prejuízos é significativa.

Para ter uma ideia, alguns trades já acumularam dívidas de milhões de reais. Um exemplo é Alex Martins, que perdeu R$ 1 milhão com essas operações.

Inclusive, um estudo da FGV mostrou que 97% dos day traders perderam dinheiro no período entre 2012 e 2017. Por isso, é preciso utilizar todas as ferramentas disponíveis para evitar perdas.

Mais do que o conhecimento, também é preciso alinhar nível de comprometimento e perfil de risco. Se você tem baixa tolerância a perdas, o curtíssimo prazo é pouco interessante.

No entanto, se o seu foco for a rentabilidade, essa é uma alternativa viável. Tudo depende dos seus esforços.

Quais são os riscos do day trade?

Como você percebeu, as operações de curtíssimo prazo são indicadas para investidores com mais experiência no mercado. Isso porque é arriscado atuar dessa forma.

Entre os principais problemas que você pode enfrentar estão:

  • ocorrência de eventos inesperados: alguma notícia imprevista pode fazer o mercado se movimentar na direção oposta. Assim, você perde dinheiro;
  • possibilidade de se deixar levar pelas emoções: o trader precisa sempre cuidar de seus próprios sentimentos. Uma forma de limitar essas questões é com o uso do stop gain e do stop loss. Além disso, é preciso ter disciplina para seguir as metas definidas.

Com esses cuidados, você tem resultados melhores no day trade. Ainda vale a pena aprender com os erros cometidos. Afinal, essas operações exigem constante aperfeiçoamento.

Jacinto Neto
Jacinto Neto
Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também