Mercado Financeiro

Corretagem: saiba o que é essa taxa e quando é aplicada

Corretagem: saiba o que é essa taxa e quando é aplicada

Uma taxa muito falada no universo dos investimentos é a corretagem. Mas afinal, você sabe sobre o que ela diz respeito?

Ao decidir investir na bolsa de valores, você precisa saber que precisará de uma corretora para intermediar sua relação com a Bolsa de Valores. Para isso, é cobrada uma taxa de corretagem que deve ser avaliada antes de investir para lucrar com sustentabilidade.

O que é corretagem?

Basicamente, a taxa de corretagem é o valor que uma corretora de valores cobra por mediar a compra e venda de ativos entre investidores e a bolsa.

Essa quantia arrecadada serve para custear as operações, salários e processos burocráticos dos especialistas que trabalham nessas empresas financeiras.

Normalmente, estes valores são diferentes de acordo com a corretora e, por isso, deve-se saber bem a respeito dessas taxas para não obter prejuízos causados pela falta de transparência.

Outra coisa que é importante mencionar é que a arrecadação dessas taxas é feita apenas para investimentos de renda variável como fundos imobiliários, ações e minicontratos.

Como funciona a corretagem?

Já entendemos o que é, então agora veremos como ela funciona.

Como já vimos acima, esse valor a ser pago à corretora refere-se às movimentações financeiras feitas através dela.

Todo e qualquer tipo de investimento na bolsa é passível de ser taxado pela corretora. Todavia, algumas empresas deixaram de utilizar esses encargos e é possível ver com mais frequência a “corretagem zero”, que quer dizer isenção dessa taxa.

Qual o valor da taxa de corretagem?

Vemos uma pilha de moedas e no fundo um relógio desfocado, remetendo a corretagem.

É uma taxa muito grande? Atrapalha os rendimentos? Tem como não pagar taxa de corretagem?

Várias pessoas têm essas dúvidas e são questionamentos interessantes. Esses pontos são importantes porque, se uma taxa é alta, pode comprometer os proventos.

Curiosamente não existe padronização das taxas, ou seja, cada corretora de valores possui um sistema de taxação próprio. Dessa forma, é aconselhável que se atente a esses encargos.

A taxa também varia de acordo com o tipo de operação e o volume de capital investido.

Apesar disso, lembre-se de que somente a taxa de corretagem não é indicativo que uma corretora de valores é boa.

Existem outros fatores importantes a serem levados em conta como:

Assim, lembre-se de avaliar bem as condições que essas empresas financeiras propõem e considere os benefícios de contratá-la para então saber se vale a pena para seus objetivos.

Uma solução para diminuir a taxa de corretagem é reduzir a quantidade de movimentações.

Para melhor entender, mostraremos um exemplo:

Em uma semana, um investidor qualificado faz 50 operações. Logo, a taxa de corretagem será cobrada 50 vezes.

Ao olharmos esse caso, podemos concluir que operações de médio e longo prazo tem menos tarifas pois existem poucas movimentações.

Considerações

Podemos ver que os custos de corretagem têm o intuito de honrar com as despesas das corretoras, seja com funcionários ou com tecnologias em funcionamento.

No entanto, esses valores cobrados podem ser custos dispensáveis para seus investimentos.

Por isso, antes de escolher a instituição financeira para te mediar frente a bolsa de valores, certifique-se de que oferece um bom serviço e que o valor de corretagem não afetará negativamente os seus resultados.

Jacinto Neto
Jacinto Neto
Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também