Economia Nacional

Tesouro Direto: conheça o título mais seguro do mercado financeiro

Tesouro Direto: conheça o título mais seguro do mercado financeiro

Dentre todos os produtos de renda fixa, as letras do Tesouro Direto são consideradas os investimentos mais seguros do Brasil.

Além da segurança, há outras qualidades nas letras do Tesouro. Inclusive, mais recentemente o Tesouro Direto lançou um novo tipo de letra, focado no planejamento previdenciário. Se você busca conhecer mais sobre as letras do Tesouro, acompanhe.

O que é o Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um programa de investimentos do Tesouro Nacional feito em meados de 2002.

O objetivo com o lançamento do programa era de oferecer aos investidores pessoa física, uma oportunidade de investir diretamente nas letras do Tesouro.

No início, o programa trouxe diversas vantagens aos investidores, mas ainda era bem restritivo. Por exemplo, na época, os resgates só poderiam ser feitos em determinado dia.

Portanto, não havia liquidez diária. Sem falar que os custos envolvidos na manutenção das letras na carteira eram elevados.

Dependendo da corretora, ainda havia uma cobrança da própria instituição sobre os valores investidos no Tesouro.

Porém, os anos foram passando e as regras melhoraram, sendo que atualmente os investidores têm liquidez diária em todas as letras, além de contar com taxas muito menores.

Sendo que boa parte das corretoras não cobra mais taxas administrativas para manter as letras sob custódia do cliente.

Dessa maneira, o Tesouro Direto ganhou muito mais atenção dos investidores e cresceu de tamanho.

Por exemplo: no terceiro trimestre de 2022, o Tesouro Direto registrou um crescimento em sua base de investidores na ordem dos 25% em comparação ao terceiro trimestre de 2021.

Segundo estimativas, até o terceiro trimestre de 2022 o Tesouro Direto contava com 2,1 milhões de CPFs cadastrados.

Mas com uma população total de mais de 200 milhões, o Tesouro Direto, como boa parte do mercado financeiro nacional, ainda conta com poucos investidores.

Como investir no Tesouro Direto?

Para ter acesso às letras do Tesouro Direto, o investidor precisa ter uma conta em uma corretora de valores mobiliários.

Essa corretora pode ser tanto dos grandes bancos, como aquelas consideradas independentes, que não possuem um vínculo a outra instituição financeira.

Por exemplo, ter uma conta no banco Itaú, não é o suficiente para conseguir acessar as letras do Tesouro, o investidor terá que se cadastrar na corretora do banco, ou escolher outra corretora.

Através da corretora, será possível comprar as letras. Normalmente, ao abrir uma conta em uma corretora, a própria já vai lhe encaminhar uma conta e senha para acesso ao site do Tesouro Direto.

Desse modo, o investidor pode fazer o acesso e negociar as letras. Além disso, há muitas corretoras que já oferecem uma plataforma para negociar as letras diretamente através da própria corretora, sem necessidade de ir até o site do Tesouro Direto e realizar as negociações por lá.

Quais são os tipos de letras?

Tecnicamente, hoje, o Tesouro Direto vende três tipos de letras, mas elas funcionam de diversas formas diferentes.

Há as letras com rendimento atrelado à Selic, IPCA mais juros prefixados e as letras com juros prefixados. Vamos conhecer um pouco mais sobre cada uma:

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é uma das letras pós-fixadas do Tesouro Direto, sendo uma das opções mais interessantes quando o assunto é construir uma reserva financeira.

Por contar com uma porcentagem menor de juros prefixados em seus rendimentos, o Tesouro Selic sofre menos com a volatilidade do mercado e por isso, consegue manter rendimentos menos voláteis.

Fato que colabora muito para a construção de uma reserva financeira. Inclusive, os investidores mais conservadores, vão enxergar no Tesouro Selic uma ótima alternativa de aplicação.

Tesouro Prefixado

Para os investidores que buscam taxas prefixadas, o Tesouro Prefixado é uma das melhores opções, mas esta letra sofre bastante com a volatilidade do mercado.

Caso o investidor aguarde até o vencimento, os rendimentos serão equivalentes ao da taxa contratada no dia da aquisição do papel. Portanto, não há riscos com relação ao rendimento, caso o investidor aguarde até o vencimento do papel.

Mas, se o investidor for liquidar o papel com antecedência, antes do vencimento, é possível que o valor do papel seja menor, ou até superior, gerando prejuízos ou até ganhos acima da média.

Tudo isso é ocasionado pela volatilidade do juro futuro que acaba influenciando indiretamente as letras do Tesouro. Mas mais especificamente, as letras do Tesouro Prefixado e do Tesouro IPCA.

Ainda com relação ao Tesouro Prefixado há dois tipos de letras, aquelas que pagam tudo no vencimento, e as letras com pagamento de juros semestrais.

Atualmente há somente uma letra que paga juros semestrais sendo negociada na plataforma do Tesouro Direto. Ao comprar tal letra, o investidor passa a receber pagamentos semestrais referentes a uma percentagem dos ganhos. Desse modo, há como construir uma fonte de renda com as letras.

Tesouro IPCA

O Tesouro IPCA oferece aos investidores rendimento atrelado ao IPCA mais uma taxa de juros prefixada.

Como já destacado, a letra também sofre com a influência no juro futuro, portanto, é comum ver o título se valorizando muito no curto prazo, ou caindo de mais, inclusive, gerando prejuízo, caso o investidor decida liquidar a operação antes do vencimento.

Em comparação às demais letras, o Tesouro IPCA possui títulos com prazos de vencimentos mais longos, podendo chegar até 2055.

Sendo que quanto mais longo for o vencimento, mais volátil será o título. Dessa maneira, é recomendável buscar letras com prazo de vencimento mais curto, assim, os riscos com relação à volatilidade são menores.

No Tesouro IPCA também há letras com juros semestrais. Ademais, quando o investidor quiser comprar uma letra de vencimento maior, ele poderá optar por uma com juros semestrais, assim, receberá parte dos ganhos sem que seja necessário vender o papel antecipadamente.

Tesouro Renda Aposentadoria

Por fim, temos uma nova versão do Tesouro IPCA, que nada mais é do que o Tesouro Renda Aposentadoria.

Essa letra nova surgiu em 2023 e vem com objetivo de ajudar os investidores que buscam construir uma nova fonte de renda para aposentadoria.

A grande diferença desta letra para as outras do Tesouro IPCA é que a partir de um momento, a letra vai começar a pagar rendimentos mensais ao investidor baseado nos juros mais amortização do valor do investimento.

Por exemplo, a letra Tesouro Renda + Aposentadoria Extra 2030, vai começar a pagar uma renda mensal ao investidor a partir de 2030, sendo que somente em 2049, o saldo vai terminar. Assim, serão 19 anos de renda, aproximadamente.

É bom investir em letras do Tesouro?

Sim, o Tesouro Direto é uma das melhores opções de investimento para todos os investidores. Desde o investidor mais conservador até o mais arrojado, devem ter letras em suas carteiras.

Mas, para cada tipo de investidor, há uma letra mais interessante. Por exemplo, os investidores que estão iniciando e buscam uma proteção para o capital sem perder a liquidez, podem enxergar no Tesouro Selic uma ótima oportunidade.

Já os investidores que têm uma visão de longo prazo e querem aproveitar as ótimas taxas do momento, as letras do Tesouro Prefixado e IPCA podem ser boas opções de investimento, ainda mais quando temos um cenário de queda dos juros se consolidando mais a frente.

Por fim, temos ainda as letras do Tesouro Renda + Aposentadoria Extra. Essa letra é muito boa para os investidores que pensam no planejamento previdenciário e buscam mais conforto na melhor idade. 

ACESSO RÁPIDO
    Jacinto Neto
    Jacinto Neto Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
    Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

    Leia também