Fundos Imobiliários

Quantos FIIs ter na carteira: um guia para investidores iniciantes

Quantos FIIs ter na carteira: um guia para investidores iniciantes

Os Fundos Imobiliários tendem a chamar atenção de muitos investidores iniciantes. Mas, com isso, aparecem as dúvidas: como investir em FIIs e quantos FIIs ter na carteira?

Embora esta seja uma pergunta sem resposta exata, é possível imaginar uma quantidade ideal de Fundos Imobiliários para cada investidor com base em alguns fatores. Então, para entender quantos FIIs ter na carteira, continue a leitura!

O que são FIIs?

Antes de partir para a pergunta mais complexa, é importante saber bem do que estamos falando. Você sabe o que são os FIIs? 

Os Fundos Imobiliários – ou FIIs, como são conhecidos – são uma forma de investir e receber retorno através de imóveis, deixando de lado a forma convencional, que se resume a ter um imóvel e alugá-lo.

Com esta modalidade, é possível investir até mesmo em imóveis em construção ou ainda na planta, não necessariamente sendo uma casa: você pode receber investindo em prédios, shoppings ou hospitais, por exemplo.

Além disso, quem investe em FIIs ainda conta com a ajuda de um gestor, que ajuda a aliviar o peso dos processos burocráticos do investimento: FIIs não trazem preocupações quanto a isso.

Dito isso, vamos ao questionamento principal: quantos FIIs ter na carteira?

Existe uma quantidade ideal de FIIs?

Seria errado afirmar que existe um “número milagroso” em relação à quantidade de Fundos Imobiliários que cada investidor deve ter.

Por isso, não se prenda tanto aos números. Embora seja possível encontrar uma quantidade equilibrada para você, ter fixada a ideia de que dez ou doze é a quantidade certa, por exemplo, pode atrapalhar suas escolhas.

Cada investidor tem diferentes objetivos, assim como podem ter mais ou menos tolerância a riscos. Por isso, tendo em mente quantos FIIs temos no mercado, é ideal que isso seja decidido e projetado de acordo com as expectativas de cada um.

Ainda assim, é possível observar alguns pontos que te ajudarão a decidir quantos FIIs ter na sua carteira de investimentos. Vamos lá?

O que levar em consideração ao decidir quantos FIIs ter na carteira? 

Como comentamos acima, a quantidade de Fundos Imobiliários na qual investir deve ser uma escolha bem pensada e planejada de acordo com o que o investidor deseja alcançar.

Para isso, existem alguns fatores a serem considerados. Veja:

Suitability: o primeiro passo

Ao abrir uma conta em corretora para iniciar seus investimentos, é necessário preencher um formulário com informações que ajudam a medir a quantos e quais riscos o investidor está disposto a se expor. 

Este processo é conhecido como suitability, e é através dele que a corretora conhece o seu perfil de investidor e pode proporcionar uma experiência personalizada para você.

Participação e estratégia dos Fundos

A partir do perfil de investidor, descoberto no suitability, é possível definir a participação e a estratégia que terão os seus FIIs e como diferenciar seu portfólio.

Assim, são decididos Fundos Imobiliários com mais ou menos riscos ou que assumam ou não um papel defensivo, por exemplo.

Risco sistemático e não sistemático

Um dos pontos mais importantes a serem observados em relação à quantidade ideal de FIIs para cada investidor é o conceito de riscos sistemáticos e riscos não sistemáticos. Entenda:

O risco não sistemático é aquele que, na maioria das vezes, atinge apenas um segmento. Ele pode, por vezes, ser mais atenuado.

Enquanto isso, o risco sistemático costuma atingir a carteira de ativos de um investidor por completo, independentemente de quais ativos estejam presentes nela.

É justamente por conta desses riscos sistemáticos que a diversificação é muito importante no momento de construir a sua carteira de ativos.

Entretanto, exagerar na quantidade também não é recomendado, pois o investidor pode acabar perdendo o controle sobre seus Fundos em algum momento.

Como posso começar a escolher em quais FIIs investir?

Após conhecer quais são os tipos de FIIs (FIIs de shopping, FIIs de papel, híbridos e outros), um passo muito importante para a tomada de uma decisão consciente, é chegado o momento de começar a montar a sua carteira de ativos.

  1. Não deixe nenhum aspecto do FII de lado

Uma dica de ouro é: jamais escolha um Fundo Imobiliário com base em apenas um indicador. Afinal, focar demais em um aspecto do Fundo pode te “cegar” para outros pontos importantes. 

Veja o FII como um todo: com pontos positivos e negativos. Busque o equilíbrio, e não apenas um ponto positivo que chame muita atenção.

  1. Avalie os possíveis riscos

Sempre avalie os riscos e indicadores como o P/VP, que mostra como está a relação entre o valor das cotas e o valor patrimonial do Fundo.

Pense, também, como se o Fundo fosse um imóvel seu antes de investir: ele está situado em uma boa localização? Esta é uma área valorizada, que atrai muitas pessoas interessadas em alugar imóveis?

  1. Conheça o gestor

Os Fundos Imobiliários são uma modalidade de investimento que oferece a ajuda de um gestor profissional durante todo o processo.

Este gestor se encarregará da maioria das preocupações recorrentes do seu investimento. Entretanto, isso traz aspectos bons e ruins.

Tenha em mente que o sucesso da estratégia de investimentos estará nas mãos do gestor. Então, busque sempre conhecer trabalhos anteriores do mesmo no mercado, assim como seu histórico e avaliações.

  1. Leve em conta a liquidez

Sem dúvidas, um dos aspectos mais importantes ao escolher um FII é a liquidez, que dita a capacidade do Fundo de transformar o seu investimento em retorno.

Considere possíveis emergências nas quais você pode se ver dependente da liquidez do Fundo e calcule se o retorno será suficiente em um caso assim.

Pronto para dar o primeiro passo?

Se você é um investidor iniciante, é sempre importante contar com a ajuda de um profissional para te orientar.

Afinal, se aventurar sem o acompanhamento de um profissional pelo mundo dos investimentos é uma decisão arriscada e que pode trazer más consequências.

Por isso, busque uma corretora e descubra, de acordo com o seu perfil de investidor e suas preferências, quantos FIIs ter na carteira!

Jacinto Neto
Jacinto Neto Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também