Finanças Corporativas

Análise de risco: passo a passo completo para tomada de decisão

Análise de risco: passo a passo completo para tomada de decisão

Estar no comando de uma empresa requer muita atenção e responsabilidade, além de decisões diárias que podem apresentar alguns riscos. Por isso, faz-se importante a prática de realizar uma análise de risco.

A análise de risco é um passo indispensável para ajudar o gestor a ter um bom planejamento e a tomar decisões mais conscientes.

Então, continuando a leitura detalharemos o que é a análise de risco, como aplicá-la nas decisões tomadas na sua empresa e os diferentes tipos de riscos. Acompanhe:

O que é a análise de risco e qual a sua utilidade?

Análise de risco é o nome do processo realizado pelos gestores de empresas que precisam estar um passo à frente no momento de tomar decisões importantes para a corporação.

Através da realização dessa análise, os gestores conseguem criar estratégias baseadas em possíveis repercussões negativas de uma decisão e em como amenizá-las caso realmente aconteçam, como, por exemplo, a fim de aumentar o lucro líquido da empresa.

Dessa forma, os profissionais – que devem já ter afinidade com estatísticas e planejamento – conseguem entender o trade-off de certas ações – por exemplo, como gerar melhores resultados financeiros – e estratégias, ao passo que tomam decisões, no geral, nas quais os efeitos positivos superam os negativos. 

Os diferentes tipos de riscos

Há diferentes tipos de risco que podem acometer uma decisão dentro de uma empresa, sendo necessário se atentar para os principais na hora de realizar uma análise de risco. Aqui estão eles:

Riscos especulativos

Os riscos especulativos se resumem aos riscos nos quais não é possível ter certeza sobre ganhos ou perdas: tudo o que pode ser feito é, literalmente, especular. 

Entre os riscos especulativos, existem alguns mais comuns. São eles:

Riscos políticos

Como todo segmento de mercado é afetado diretamente pela política da área de atuação, deve ser sempre analisada a estabilidade do cenário político no qual está a empresa.

Riscos de inovação

Os riscos de inovação estão cada vez mais presentes, pois se referem à tecnologia.

Com tudo em constante mudança e evolução, é comum que exista um alto risco de que o projeto acabe ficando ultrapassado.

Riscos administrativos e financeiros

Devendo ser sempre analisados com extremo cuidado, os riscos administrativos e financeiros são aqueles nos quais o dinheiro da empresa está diretamente envolvido.

Para a análise destes riscos, são estudados fatores como o mercado atual, o crédito e a liquidez.

Riscos reais

Os riscos reais são os casos onde não há nenhuma expectativa de ganho. A análise desses riscos, então, considera apenas as possíveis perdas. Por exemplo:

Riscos às pessoas

São os riscos que afetam os colaboradores e funcionários da empresa.

Condições que podem causar doenças ou acidentes de trabalho são exemplos de riscos às pessoas que devem ser muito bem considerados.

Riscos à propriedade

Os riscos à propriedade envolvem a perda de bens e patrimônios: um carro da empresa, por exemplo.

Considerara-se possíveis essas perdas em, por exemplo, uma empresa com muitos materiais inflamáveis guardados – afinal, um incêndio pode causar danos ao imóvel, aos materiais e aos equipamentos.

Riscos de responsabilidade 

Aqueles que podem trazer responsabilidade à empresa em relação a, por exemplo, indenizações.

Considera-se riscos de responsabilidade danos causados ao meio-ambiente ou por falhas em produtos e/ou serviços

Todas essas possibilidades, por menores que sejam, devem ser levadas em consideração.
Afinal, a falta de planejamento pode resultar em situações muito sérias para uma empresa. É por isso que é tão necessário fazer a análise de risco!

Jacinto Neto
Jacinto Neto Analista CNPI e sócio do Funds Explorer
Formado em administração pública pela FGV-SP, mestre em Finanças e Controladoria pela FIPECAFI, analista CNPI e sócio do Funds Explorer. Possui experiência maior que 5 anos, trabalhando com estratégia de investimentos, planejamento e modelagem financeira, além de análise de fundos de investimento imobiliário.

Leia também